Mortadela redentora

Faço questão de dizer que não morro de amores pela chef Roberta Sudbrack. Sei lá, acho que tá virando farra do boi esse negócio de todo mundo que tem avental branco e colher de pau na mão virar popstar.

Tem hora que zapeio e só vejo: Gordon Ramsey dando esporro, Nigella lambendo o dedo, Troigos assassinando o português, Jamie Oliver sacudindo freneticamente suas bochechas rosadas… Ufa!

O próprio Alex Atala na Marília Gabriela disse: “- Os chefs de cozinha são hoje o que os atores eram nos anos 80 e os publicitários nos 90”.

Mas tenho que dar a mão à palmatória. Estava eu dando uma vasculhada em blogs de culinária que valessem a pena figurar aqui e passei pelo “Ego Gourmet” da Dona Sudbrack. O nome é um desconvite a ler. Pedante só.

Mas, resignado, lá fui eu.

Achei um blablablá sobre panelas aqui, outro acolá – Faca nessa hora diria que eu sou o ser mais ranzinza do mundo! Posso até ouvir a voz dela: “Você o cara mais ranzinza do mundo!”– e me deparei com algumas impressões bem interessantes e sem o nariz-em-pé que eu achei que ela teria.

Roberta diz: “-Domingo depois de um almoço preparado em casa, fui executar a tarefa mais chata da face da terra: lavar louça. Quando já estava terminando notei que faltava uma panela, virei para procurar e me deparei com a minha avó literalmente raspando com o dedo a panela onde preparei o caramelo que acompanhou a torta de maçã! Foi uma cena e tanto! Prova de que o gosto quase perfeito pode estar até na “rapa” da panela!”

E segue: “Uma senhora irritada foi ao meu restaurante. O tom agressivo nada tinha a ver com o fato dela ter gostado mais ou menos da comida, mas com o fato de eu não ter ido até sua mesa, coisa que ela categorizou como gafe. Fiquei extremamente triste não só por perceber que ela realmente não entendeu nada da essência e nem da filosofia do meu trabalho, mas, sobretudo, com o tom desrespeitoso que as pessoas presumem possam assumir em certas situações. “

A que me fez incluir o blog dela na lista do G&F: “A verdade é que eu amo pão com mortadela! Amo de paixão! Chego a sonhar de vez em quando com um e acho uma injustiça a fama que a mortadela tem de carne de segunda. Quatro fatias por pão é mais do que suficiente para um equilíbrio quase perfeito. E a melhor harmonização, que me desculpem os puristas, é uma coca-cola de casco bem gelada e bebida direto no gargalo!”

Ainda não morro de amores por ela. Vocês acharam que ia ser fácil assim me dobrar? Hahaha. Mas eu também sei reconhecer que quem faz os tipos de comentários acima gosta muito de comida. E não é de pato confit que eu tô falando.

Anúncios