Gotas incandescentes

Uma das crônicas gastronômicas do Kapranos versava sobre as propriedades bombásticas das pimentas. Espalhadas pelo mundo existem milhares dessas gotas incandescentes. As nossas malagueta, dedo de moça e piri-piri estão as que possuem ardência moderada perto dos jalapeños mexicanos. Nem assim fazem feio pingadas com moderação na feijoada e no acarajé.

No quadro aí abaixo estão algumas das mais famosas que rondam nossas mesas. Não se ligue nos nomes. Cada região do país botou apelido diferente nelas. Gosto muito de uma que nem sei se dá pra chamar de pimenta. A “cheiro vermelha” não tem ardor nenhum e é pra lá de perfumada. Boa pra acompanhar peixes e frangos. Nomes bons pra deixar os olhos lacrimejando só de olhar as fotos são: Cherry bomb e Vulcão. Traz água!!

A Escala de Scoville  é usada para medir o grau de ardor da pimenta. Em 1912, enquanto trabalhava para uma farmacêutica, o químico Wilbur Scoville desenvolveu um método para medir as diferentes gradações de “calor” de uma pimenta.

Este teste é chamado de teste Organoléptico de Scoville, e é chamado de procedimento de diluição e prova. No teste original, Scoville misturou a pimenta pura com uma solução de água com açucar. Então, um painel de provadores bebeu da solução. Quanto mais solução de água e açúcar é necessária para diluir uma pimenta, mais alto seu “grau de calor”.

Depois o método foi melhorado e foram criadas as unidades de Scoville. Assim, 1 xícara de pimenta que equivale a 1000 xícaras de água, corresponde a 1 unidade na escala de Scoville.

Capsaicina pura – a substância que dá a queimação – equivale a 15.000.000 (15 milhões) de unidades Scoville. O poder da pimenta é medido nesta escala. A pimenta mexicana Habanero chega a 300.000 unidades nesta escala. Uma pimenta “Red Savina Habanero”, uma espécie modificada, chega a 577.000 unidades e a Tezpur indiana chega a 877.000 unidades. (fonte WP).

Bom, com tabela ou não, uma regra é válida. Quanto mais vermelha, mais quente!!

Ah, na minha janela, bem na cabeceira da minha cama, mora um frondoso pé de malaguetas. Além das saborosas ardências que elas me proporcionam, ainda estão ali por outro motivo. A sabedoria popular diz que absorvem energias negativas. Uma coisa eu reparei. Ando mais bem humorado e leve. Em contrapartida, minhas pequenas pimentas se tornaram verdadeiras gotas de lava vulcânica. Que las hay, las hay!!

Anúncios