Índio quer apito…e palmito

Todo mundo sabe que especialidade de restaurante alemão é salsichão, chucrute e joelho de porco. Lá no Restaurante do Otto não é diferente. Você vai encontrar tudo isso na segunda página do cardápio. 

Na primeira está lá o já famoso “Palmito assado na casca”. A iguaria, que já tem mais de 20 anos na casa, foi trazida ao Rio por Ottmar Grunewald Serveira, o Otto.

Gaúcho de Sta.Cruz do Sul, aprendeu na infância que o palmito assado era uma especialidade da culinária dos índios guaranis, que habitaram o sul do país, região que fora colonizada por seus bisavós, imigrantes alemães. É servido assim, dentro da casca e fumegante depois de sair do braseiro da churrasqueira.

Depois de gentilmente cortado é arrumado no prato. Vai à mesa regado com um molho tradicional de manteiga com alcaparras ou – o meu preferido – sal, azeite, alecrim, sálvia e alho fatiado. O garçom diz que são servidos entre 80 e 120 pedaços por dia. Fazendo as contas dá mais de uma tonelada de palmito por semana!

Mas o próprio Otto faz questão que todo o palmito – no caso de pupunha – seja fiscalizado e que venha de área de reflorestamento lá de Angra dos Reis.

Não dá pra restir. Com Cerveja Erdinger super gelada, acompanhado de salsichão de vitela com salada de batatas e mostarda escura, o palmito fica imbatível! 

Pra conferir: Rua Uruguai, 380 – Loja 22, 23 e 31  –  Tijuca Rio de Janeiro  –  (21) 2268-1579

Anúncios